LGPD e o Varejo Brasileiro

Todos sabemos que dados são a alma dos negócios, ainda mais quando o assunto envolve o lema do comércio que é “conheça o seu cliente”. Quanto mais se sabe sobre o consumidor maior a chance de fidelização.

O e-commerce não depende mais apenas do consumidor para preencher um cadastro com seus dados pessoais e assim efetivar as vendas. Já faz uso de uma série de ferramentas que usam tecnologias digitais mais avançadas para conhecer os hábitos e comportamentos do cliente, que vão desde analisar a navegação de internet até o reconhecimento facial.

Mas como continuar a utilizar tudo isso agora com a nova lei de proteção de dados pessoais? Como aplicar todas as exigências da nova regulamentação e ainda assim preservar a boa experiência do usuário para evitar ruídos na relação seja ela do balcão virtual ao PDV?

Uma coisa é certa, o varejo está correndo contra o relógio, pois precisa ajustar a sua documentação o quanto antes para capturar o consentimento na nova política de Privacidade e Proteção de Dados Pessoais tomando proveito das oportunidades de interação com os clientes e evitando aumentar o legado da base de dados que não está em conformidade com a LGPD. Ou seja, cada novo cadastro, cada nova venda, aquele cliente já deveria ser informado sobre como os dados pessoais são protegidos, se há compartilhamento com terceiros, se há internacionalização, para quais finalidades são tratados e quais são os direitos dos titulares.

É isso que tem de ser tratado em linha com as exigências da LGPD, em que o consumidor estará mais empoderado sobre a utilização dos seus dados pessoais e terá direito a solicitar revogação de consentimento, apagamento e portabilidade. E terá de saber como eles estão sendo tratados e para quais objetivos.

Também é ele quem poderá exigir que esses dados sejam deletados. E como comprovar essa ação? Certamente será uma mudança contundente na cultura e na governança dos dados pessoais nas empresas de varejo.

E isso vale não somente para os ambientes virtuais, mas também para estabelecimentos físicos que coletam dados dos seus clientes. Sendo assim, irá exigir, portanto, uma adequação não somente tecnológica, mas estratégica de cada negócio. A conformidade exige muito além de implantação de antivírus ou firewall.

Uma equipe multidisciplinar é fundamental para sua empresa estar em compliance. Por isso a DPOffice está preparada para atender o mercado: nossa expertise compreende tecnologia da informação (segurança), gestão de projetos e jurídico.

A LGPD está em vigor e estamos aqui para lhe ajudar. Para saber mais, entre em contato com o nosso time agora mesmo. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *